Entrevista ao Programa Mercado Imobiliário

  Francisco Lowndes concede entrevista ao programa Mercado Imobiliário, da rádio JBFM.    Veja as respostas na íntegra ou ouça os áudios.   1) Qual a importância da autovistoria predial? No Rio de Janeiro havia uma cultura de só se consertar o que estava quebrado, de maneira nenhuma fazer manutenção preventiva nos prédios. Desde a […]

 

Francisco Lowndes concede entrevista ao programa Mercado Imobiliário, da rádio JBFM. 

 

Veja as respostas na íntegra ou ouça os áudios.

 

1) Qual a importância da autovistoria predial?

No Rio de Janeiro havia uma cultura de só se consertar o que estava quebrado, de maneira nenhuma fazer manutenção preventiva nos prédios. Desde a queda do Edifício Liberdade, que aconteceu em Janeiro de 2012 e, em especial após a Lei Municipal de 2013 que criou a autovistoria, esse cenário nitidamente se modificou.

Por um lado, ficou mais fácil para os síndicos diagnosticarem problemas que até então eles sequer sabiam que existiam e determinarem, com a ajuda do laudo, o que é prioridade e o que deveria ser feito para que o condomínio fique agora dentro da lei. Além disso, ficou mais claro para eles os riscos e as necessidades de se contar com profissionais mais habilitados para acompanharem as obras dentro do condomínio já que até então reinavam nos edifícios os autônomos sem nenhum tipo de qualificação, mesmo para obras complexas como reformas de fachadas, por exemplo.

2) Como está a implantação do e-social nos condomínios?

Depois de dois adiamentos, em janeiro de 2019 começou novamente o prazo para envio da primeira fase do eSocial para os condomínios. Essa primeira fase é mais simples pois consiste só em enviar dados como CNPJ, razão social do prédio e tabelas contendo cargos e turnos de trabalho dos funcionários. Os condomínios precisam realmente se preparar para segunda, terceira e quarta fases que incluem tabelas cada vez mais complexas devendo terminar somente em 2020.

Em 10 de abril, começa a transmissão da segunda fase, onde precisam ser enviados todos os dados dos trabalhadores, seus dependentes e seus vínculos com os condomínios. O nível de detalhamento das informações é enorme. Sem uma administradora como a Lowndes, por exemplo, que se antecipou e já está preparada inclusive com sistema de informática para enviar esta quantidade enorme de informações, os prédios terão bastante dificuldade em validar e informar tudo corretamente no prazo. É importante ressaltar que os condomínios que não se cadastrarem (que não enviarem as informações) terão sérios problemas com INSS, Receita Federal, Ministério do Trabalho e Caixa Econômica, com multas que se duplicam a cada mês.

3) Atualmente, quais as vantagens de se contratar uma administradora?

Ninguém tem tempo para mais nada hoje em dia. Neste ponto, contratar uma administradora para assessorar o síndico é de extrema importância, diria até indispensável para tornar o dia a dia dos condomínios mais tranquilos e a gestão totalmente profissional, eficiente e transparente, acima de tudo. O serviço é muito detalhado e se formata à realidade de cada condomínio e todos precisam de agilidade, suporte para gestão de funcionários além de diferenciais como os que oferecemos que seriam a consulta de extrato online (já conta há anos com a visualização dos documentos desse extrato conhecida como pasta digital). Além de outros serviços e facilidades que poderia citar. Isso naturalmente varia de administradora para administradora nós, por exemplo, temos um serviço que, caso ninguém queira ser síndico, a Lowndes assume como síndica do condomínio onde assumimos presencialmente a gestão do prédio, algo que tem crescido bastante nos últimos anos e ilustra exatamente a falta de tempo que as pessoas estão tendo, que eu já tinha mencionado, e a busca por soluções que atendam a essa demanda.