Deu certo

Navegando em Mar Sereno

Reuniões rápidas, aprovações por unanimidade, administração de obras tranquila. Isto existe? Quem pode dizer é Fuad Diuana Zacharias, que é síndico do Condomínio do Edifício Barcellos há 15 anos. À frente do edifício dos anos 50, no Centro da Cidade, ele vem realizando suas gestões como quem atravessa um mar sereno. Uma administração que vem garantindo a valorização dos imóveis comerciais, 21 andares corridos e uma loja no térreo.

Experiente administrador, presidente de uma construtora, o síndico diz não ter tido qualquer problema maior ao longo de todos estes anos, mesmo tendo causado uma verdadeira revolução no prédio ao assumir, quando teve aprovação para demitir todos os empregados de uma só vez. “Como condômino recém chegado, entendia aquela situação como insustentável. O prédio tinha sido de uma estatal e mantinha 16 funcionários, muito mais que o necessário, todos com salários altíssimos, muito fora da realidade do mercado”, conta.

Sua decisão de fazer um acordo na justiça, para fazer o pagamento das indenizações ao longo de um ano, permitiu ao condomínio quitar esta despesa extra somente com a economia da redução da folha, tendo ainda outros ganhos. “Desta forma foi possível reestruturar todo o prédio, montar uma equipe do tamanho das necessidades e ainda preparar o pessoal para trabalhar com qualidade”, afirma. O síndico formou a nova equipe com nove profissionais, entre faxineiros, vigia da noite, segurança e porteiros. A disparidade era tanta que, com a economia, ainda foi possível empreender algumas obras necessárias, como a pintura interna do prédio, a reforma da portaria e a colocação de câmeras.

O Edifício Barcellos é um condomínio de poucos condôminos e as decisões em assembleia são rápidas, algumas acontecem em tempo recorde. A última, realizada em janeiro, quando o síndico foi novamente reeleito, exíguos sete minutos. “Somos todos amigos de longa data e ainda contamos com a ajuda da administradora que nos entrega tudo organizado, pronto para as decisões. A maior parte do prédio é de andar inteiro e formamos uma família tranquila. Ficamos mais tempo conversando do que debatendo ou aprovando os temas”, comemora Zacharias.

Economia com realizações

Com seu sólido conhecimento, o síndico vem empreendendo ações de economia, como a troca das descargas de todos os sanitários de todos os andares e torneiras modernas. A modernização dos três elevadores também teve este objetivo. O resultado tem permitido manter a cota sem aumento desde 2010.

Já na reunião da primeira eleição, a questão dos elevadores tinha sido levantada por Zacharias, que assumiu a modernização como o foco de sua primeira gestão. Um ano depois de ser eleito, ainda com os recursos da folha, o condomínio pode reduzir a cota em 20%, aprovando ainda que, caso necessário, a cota retomaria o valor anterior, o que não foi preciso.

Em 2002, a redução foi de 5% com a mesma mecânica de retomada do valor anterior, caso fosse necessário para despesas eventuais e emergenciais.

O ano de 2005 foi o ano de maior número de obras, mas ele ainda realizou com as reservas. Foi feita pintura geral interna, a pintura das portas corta fogo nos andares, do terraço, do portão, dos tetos e dos elevadores. Foram aprovadas as obras de conservação na portaria e das cabines dos elevadores e também a reforma da fachada, e somente esta última exigiu o rateio das despesas.

No ano seguinte, no entanto, a cota mais uma vez não foi aumentada. E na mesma ocasião, a ata registrou voto de louvor pela excelente administração do síndico, com consequente valorização patrimonial beneficiando a todos os condôminos.

O síndico vem assim realizando uma administração com total aprovação, fazendo as reformas e investindo na conservação do prédio e também na renovação dos sistemas, como fez com o de câmeras de circuito interno de gravação. “São melhorias necessárias. É preciso adequar o edifício às demandas atuais. Somos muitas empresas funcionando aqui e temos aqui também um patrimônio. Tudo que fizermos para que ele seja gerido da melhor forma possível, com o menor custo, melhor”, conclui.