Segurança no condomínio

PARA FUNCIONÁRIOS Ao atender estranhos, manter os portões fechados e as pessoas do lado de fora. O portão somente pode ser aberto após: Identificar o visitante; Avisar o morador sobre a conveniência da entrada; Na dúvida, solicitar ao morador para vir identificar tal visitante. No caso de entrega de encomendas: Avisar o condômino e solicitar sua presença na portaria; Na ausência do condômino, receber e guardar para, posteriormente, ser retirado por um morador ou entregue por um funcionário; Jamais permita que o entregador leve pessoalmente a encomenda. Nos horários de limpeza e recolhimento de lixo, manter as entradas do edifício fechadas. Para abrir o portão da garagem, identificar o motorista e observar se não há risco de penetrar alguém junto. Ao receber prestadores de serviços, identificá-los, anotar os dados de seus documentos, avisar o condômino e só permitir acesso às dependências mediate autorização do morador e devidamente acompanhado por um funcionário. Na entrada ou saída de pessoas do condomínio, somente abrir o portão após verificar se não há suspeitos próximos. Fonte: Polícia Militar-SP PARA SÍNDICOS Desenvolver reuniões periódicas com os condôminos, a fim de despertar a consciência para a segurança de todos; Cadastrar todos os condôminos com dados pessoais, dos veículos e até de parentes próximos, para uso em caso de emergência; Estabelecer o sistema de identificação com crachá para todos os visitantes, com assinaura do condômino visitado; Acompanhar o andamento de todos os trabalhos realizados no edifício; Na contratação dos funcionários, após exigir documentos e referências e certificar-se quanto à autenticidade e veracidade das informações, dar preferência para os que possuam cursos de formação e treinamento. Realizar a reciclagem e treinamento periódico de seus empregados, visando a segurança do condomínio. PARA CONDÔMINOS A sua compreensão e colaboração são fundamentais para a segurança do Condomínio; Elogiar as ações dos empregados que visam a garantir a segurança de todos os condôminos, mesmo quando representam algum transtorno para si ou para suas visitas; Ao chegar ou sair da garagem, observar se não há pessoas estranhas ou suspeitas, aguardando ou dando voltas até sentir-se em segurança; Ao estacionar seu veículo na garagem, mantê-lo trancado, sem pacotes e objetos à vista e com o alarme ligado; Alertar a portaria para que receba as encomendas feitas, ou o avise para que vá atender ao entregador na recepção; Quando solicitado à portaria, verificar se o assunto lhe diz respeito, e só então descer à recepção para atender; Ao contratar empregados (domésticas, babás, motoristas, etc.) somente os receber na portaria. Exigir documentação e referências, averiguando a autenticidade e veracidade das informações; As chaves de todas as dependências não devem ser deixadas com os empregados, mantendo algumas dependências isoladas. Assim como não deixar cópia das chaves na portaria. DISPOSITIVOS ÚTEIS No caso de pequenas entregas, sugere-se uma caixa na recepção com portinhola, para facilitar a entrega e evitar a entrada do entregador; As entradas do edifício (social, de serviço e garagem) devem ser suficientemente iluminadas; Os equipamentos de segurança devem estar em perfeitas condições: Portas de entrada; Portões de garagem; Extintores, etc. Os condôminos precisam cooperar com as instalações de equipamentos indispensáveis à segurança: Olho mágico de 180 graus; Intercomunicador; Interfones; Alarmes,etc. Aos moradores dos 1o. e 2o. andares, recomenda-se um cuidado especial, protegendo as áreas de acesso; A guarita deve ser recuada do portão, com grades altas ao redor do prédio, e o portão da garagem controlado pela portaria. OS DISFARCES DOS LADRÕES Levantamento feito sobre assaltos a apartamentos, a partir do noticiário recente de São Paulo e Rio de Janeiro O disfarce: Funcionário de concessionárias de serviços públicos (água, energia elétrica, telefone, gás, correio) Como entram: Alegam ter de fazer reparos dentro de algumas unidades, ou no caso do carteiro, ter de entregar em mãos determinada correspondência Como evitar: - Pedir crachá com foto - Não permitir a entrada nas unidades, se o serviço não foi solicitado pelo morador O disfarce: Banhistas Como entram: Casos no Rio de Janeiro. Geralmente em dupla, de sunga e chinelo invadem o prédio e levam o produto do furto em uma mochila. Como evitar: O porteiro tem de estar atento e conhecer os moradores do prédio. Não abrir o portão para estranhos antes de obter autorização da unidade a que se dirigem O disfarce: O "bem vestido" Como entram: - Recentemente, um prédio em São Paulo foi invadido por um homem de terno entrando a pé pela garagem, quando um morador chegava com seu carro - O porteiro não desconfiou de nada porque o homem estava bem vestido - Logo em seguida foi rendido pelo invasor, que o obrigou a abrir o portão para seus comparsas Como evitar: Orientar o porteiro para não mudar os procedimentos de segurança de acordo com as vestimentas das pessoas ou aparência de status social O disfarce: O "conhecido" Como entram: - Aproveita-se da entrada de uma pessoa no prédio para "pegar uma carona" no portão aberto dos pedestres - Para não despertar suspeitas, diz alguma coisa para a pessoa que está entrando, parecendo ao porteiro que ambos se conhecem Como evitar: Outra vez, vale a atenção do porteiro. Se ficar na dúvida se conhece ou não a pessoa que entrou, deve abordá-la e perguntar para que unidade se dirige O disfarce: Entregador de encomendas Como entram: A empregada desceu para atender e foi rendida por três assaltantes Como evitar: - Não permitir a subida de entregadores às unidades, em nenhuma hipótese - Antes de abrir o portão para receber a encomenda, o porteiro deve confirmar se o respectivo condômino a aguarda - No caso de flores e presentes surpresa, o melhor é que o próprio porteiro receba*. - Outra garantia é instalar um "passador" de encomendas, para não abrir o portão nestes casos. É recomendável que se estabeleça uma senha para o porteiro alertar os moradores por interfone, em situação de perigo, sem despertar suspeitas em eventuais assaltantes. Assim, pode-se evitar a invasão a unidades, se o porteiro for coagido a interfonar para pedir que uma pessoa desça para receber a encomenda. Do mesmo modo, pode-se estabelecer um gesto que sirva de senha, para ser visto pelo morador através do olho-mágico, advertindo que o zelador ou o porteiro estão acompanhados de assaltantes.